segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Flor de Lótus - parte II

Aproximando-se do vulto, que permanecia mergulhado num sepulcral silêncio, apenas quebrado pelo ligeiro rodar das contas de jade nos seus finos dedos, sussurrou-lhe algo ao ouvido. Flor de Lótus teve um pequeno sobressalto e saindo da letargia em que estava mergulhada, endireitou-se, e encaminhou-se para a mesinha de chá. Enquanto caminhava, uma réstia de claridade iluminou-lhe o rosto e mostrou quão linda e jovem era Flor de Lotus... Não deveria ter contado na sua existência, o florir das cerejeiras em mais do que 25 primaveras... Seu rosto oval era de um branco sedoso e seus olhos de um dulcíssimo brilho. O nariz pequeno e perfeito e uma boca fina cor de carmim... Fácil será deduzir o porquê de lhe chamarem Flor de Lótus... Lua Azul ajudou Flor de Lótus a se sentar numa cadeira de pau rosa com incrustações de madre-perola representando Phoenix voando e depois ocupou de pernas cruzadas a sua almofada vermelha mesmo em frente à sua ama... Lua Azul abriu uma caixa e, com uma pinça de madeira, retirou um rolinho branco que entregou a Flor de Lótus... Esta desenrolou a fina gaze húmida, tépida e perfumada e suavemente a passou pelas mãos.... Entretanto, segurando uma pequena taça de fina porcelana com a pinça de madeira colocou-a dentro de uma taça maior e sobre ela verteu água quente a fim de a escaldar . Depois colocou-a em frente de Flor de Lótus e nela deitou o chá anteriormente guardado no bule... Flor de Lótus segurou a pequena taça com dois dedos e sorveu o delicioso liquido em pequenos goles... De repente elevou a face, olhando Lua Azul, e fazendo ouvir a sua voz doce e cristalina, ordenou: Xiao Lan Hue serve uma taça de chá também para ti! ... e ficara no silêncio, aliás como mtas vezes o fizera... temia errar... não por si, mas pelo outro! Sem saber porquê a felicidade dos outros sempre foi um imperativo basilar da sua forma de estar. Estes prolongados e eloquentes silêncios foram-se tornando constantes com o passar dos anos. Há silêncios necessários! Preferível às conversas entorpecidas de alegrias passageiras, que a faziam sentir mais inepta a cada dia que passava. Percebera que não podia rivalizar com as provações e provocações da vida... Toda a solidão que se possa viver... até então não era nada comparada com a solidão de espírito... sentia-se cega quando tentava visualizar o futuro e atordoada quando olhava para trás... devia partir, no entanto era incapaz... Via a vida como um ciclo. A Primavera volta a cada ano... pinta os campos de verde e varre-os com os seus ventos fortes e puros. E assim deve ser! também o Outono chegará... e sobre os mesmos campos. Pálidos raios de sol, desprovidos de calor derramar-se-ão sobre os campos de águas, que porém não se deixam lavrar

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

FLOR DE LÓTUS - I Episódio

) ...um ligeiro ranger dos gonzos da porta anunciou que alguém entrara na sala onde à luz velada se sentia o leve perfume de incenso e jasmim... Lua Azul (Lan Yuè )entrou de mansinho... Apenas o leve ruído dos seus sapatinhos de seda tocando o soalho de madeira, quebravam o profundo silêncio... dirigiu-se para uma mesa baixa e cruzando as pernas sentou-se numa das almofadas vermelhas que a rodeavam. Delicadamente com as suas finas e alvas mãos, que mais pareciam as de uma deusa de porcelana, abriu um pequeno pote de terracote e dele retirou com uma colher de madeira uma porção de aromático chá Ti Kwan Yin...com delicadeza colocou as folhinhas de chá numa taça de porcelana branca e cobriu-as com água fervente... pegando na tampa da taça cobriu esta deixando apenas uma abertura e despejou a água amarelada... tinha acabado de lavar o chá! De imediato deitou nova água fervente nas folhinhas já húmidas e deixou repousar alguns segundos... voltando a fazer o anterior, só que desta vez verteu o líquido cor de topázio num bule de porcelana Ming, cujos motivos em azul cobalto relatavam uma cena de caça do séquito imperial... O chá estava pronto a ser servido...

Flor de Lótus - II Episódio (continuação)

... Lua Azul levantou-se com ligeireza e endireitou o seu quimono de seda branco pérola e as calças largas de seda lilás e como que flutuando dirigiu-se ao fundo da sala, donde uma ténue cortina de fumo ondulava e aromatizava a sala...
Um vulto ajoelhado em frente ao altar dos Deuses do Lar e dos Antepassados orava sob o olhar enigmático das três divindades ali representadas, em frente das quais tinham sido colocada uma linda taça de porcelana com maçãs, laranjas e pêras... A oferenda periódica aos Deuses do Lar, que seria substuída por novos frutos quando estes deixassem de estar viçosos (nunca comidos!!! )...
Ao lado uma moldura dourada contornava a imagem de um homem trajando vestes imperiais onde sobressaía o Dragão - o Imperador Huang Can... Havia falecido ainda não havia um mês em virtude do ferimento sofridos na derradeira batalha para expulsar as hordas do norte que queriam invadir a capital...
Cavaleiro exímio e guerreiro audaz, não quis deixar que o comando do seu exército fosse ocupado por outro que não ele em defesa do seu reino... Infelizmente uma flecha traiçoeira perfurou a sua cota de ouro e prata e rasgou-lhe as artérias do coração... Agora era chorado por toda uma nação e, muito mais pela sua concubina predilecta, Flor de Lótus, que temia pelo seu futuro...

quinta-feira, 15 de maio de 2014

2011...2014...

... três anos passaram sem que aqui viesse verter as minhas vivências que continuaram por essa China adentro e, agora, muito mais por Macau... Vamos voltar!... Desde 1998 que por aqui andamos...dezasseis anos... há muito para contar... Mãos à obra! Até já!!! ...homenagem ao homem que há quinhentos (?) anos pisou estas terras dos Chins... Jorge Alvares...

quinta-feira, 23 de junho de 2011

RESPIRAR MELHOR NAS CIDADES!

















...a bicicleta está a voltar as ruas das cidades chineses... não nos referimos obviamente à velha "pasteleira" que enchia as ruas de Pequim, como que de um rio se tratasse, na minha primeira visita! Os tempos são outros, a modernidade tomou conta de um pais em crescendo, onde a economia continua em alta, e com ela os "yuan" nos bolsos de uma franja da sociedade cada vez mais alargada...
...na verdade faz-se um esforço na tentativa de melhorar a qualidade de vida nas cidades, proibindo o uso de motocicletas e scooters, diminuindo consideravelmente o carbono no ar que se respira... em substituição o recurso e a adopção das E-Bike, bicicletas eleéctricas, e das E-Scooters...
... depois de dezenas de anos de intensa poluição parece que a China acordou para os problemas da ecologia e protecção do planeta...
... nas grandes cidades já há um sorteio semanal que dita qual a letra da matrícula das viaturas que podem circular à segunda, à terça, e por aí fora... é verdade que há sempre maneira de dar a volta à situação mas o que conta é que alguma coisa está a já ser feito...
Comprar um automóvel já não é factor de se ter apenas dinheiro para o dito, é preciso preencher certos requisitos e em muitos casos ficar sujeito a um sorteio tipo "bingo"... é necessário controlar o número de viaturas automóveis a circular na China...
A foto aqui publicada é de um cartaz fotografado na cidade de Ningbo (provincia de Zhejiang, um pouco abaixo de Shanghai). Queremos acreditar que o seu conteúdo venha a ter boa aceitação e na verdade o carbono diminua nas cidades chinesas... haja boa vontade e sentido cívico para bem de todos...
... LET'S STAY GREEN é o slogan de um fabricante chinês de bicicletas eléctricas!

sábado, 26 de fevereiro de 2011

O que na Rússia se escreve sobre nós...É a pura realidade!





De um amigo recebi por e-mail o texto abaixo transcrito, que aqui e com a devida vénia aproveito para divulgar junto dos meus leitores dada a actualidade e a visão realista do autor...

Date: Wed, 23 Feb 2011 18:29:15 +0000

Se esquecermos que ainda este fim de semana foi realizada a maior
feira internacional do LUXO do mundo em Moscovo, e que actualmente (e
anteriormente) não são o melhor modelo económico a seguir, se existe
capitalismo desenfreado no mundo, a Rússia e a China serão o melhor
exemplo disso actualmente, mas esquecendo esses pequenos grandes
factos, o que está escrito tem algo para pensar.
Até na longínqua Rússia se fazem melhores análises do que se cá passa,
do que nós mesmos conseguimos fazer, é triste, mas é a verdadeira
realidade.

Jornal Russo Pravda.ru escreve 4 páginas sobre Portugal

" Foram tomadas medidas draconianas esta semana em Portugal pelo
Governo liberal de José Sócrates, um caso de um outro governo de
centro-direita pedindo ao povo Português a fazer sacrifícios, um apelo
repetido vezes sem fim a esta nação trabalhadora, sofredora,
historicamente deslizando cada vez mais no atoleiro da miséria.

E não é porque eles serem portugueses.

Vá ao Luxemburgo, que lidera todos os indicadores socioeconómicos, e
você vai descobrir que doze por cento da população é português, o povo
que construiu um império que se estendia por quatro continentes e que
controlava o litoral desde Ceuta, na costa atlântica, tornando a costa
africana até ao Cabo da Boa Esperança, a costa oriental da África, no
Oceano Índico, o Mar Arábico, o Golfo da Pérsia, a costa ocidental da
Índia e Sri Lanka. E foi o primeiro povo europeu a chegar ao
Japão....e Austrália.
Esta semana, o Primeiro Ministro José Sócrates lançou uma nova onda
dos seus pacotes de austeridade, corte de salários e aumento do IVA,
mais medidas cosméticas tomadas num clima de política de laboratório
por académicos arrogantes e altivos desprovidos de qualquer contacto
com o mundo real, um esteio na classe política elitista Português no
Partido Social Democrata e Partido Socialista, gangorras de má gestão
política que têm assolado o país desde anos 80.
O objectivo? Para reduzir o défice. Por quê?
Porque a União Europeia assim o diz. Mas é só a UE?
Não, não é. O maravilhoso sistema em que a União Europeia deixou-se a
ser sugado é aquele em que a agências de Ratings, Fitch, Moody's e
Standard and Poor's, baseadas nos estados unidos da América (onde
havia de ser?) virtual fisicamente controlam as políticas fiscais,
económicas e sociais dos Estados-Membros da União Europeia através da
atribuição das notações de crédito.
Com amigos como estes organismos, e Bruxelas, quem precisa de
inimigos? Sejamos honestos. A União Europeia é o resultado de um pacto
forjado por uma França tremente e com medo, apavorada com a Alemanha
depois que suas tropas invadiram seu território três vezes em setenta
anos, tomando Paris com facilidade, não só uma vez mas duas vezes, e
por uma astuta Alemanha ansiosa para se reinventar após os anos de
pesadelo de Hitler. França tem a agricultura, a Alemanha ficou com os
mercados para sua indústria.
E Portugal? Olhem para as marcas de automóveis novos conduzidos por
motoristas particulares para transportar exércitos de "assessores"
(estes parecem ser imunes a cortes de gastos) e adivinhem de qual país
eles vêm? Não, eles não são Peugeot e Citroen ou Renault. Eles são
Mercedes e BMWs. Topo-de-gama, é claro.
Os sucessivos governos formados pelos dois principais partidos, PSD
(Partido Social Democrata, direita) e PS (Socialista, de centro), têm
sistematicamente jogado os interesses de Portugal e dos portugueses
pelo esgoto abaixo, destruindo sua agricultura (agricultores
portugueses são pagos para não produzir) e sua indústria (desapareceu)
e sua pesca (arrastões espanhóis em águas lusas), a troco de quê?
O quê é que as contra-partidas renderam, a não ser a aniquilação total
de qualquer possibilidade de criar emprego e riqueza em uma base
sustentável?
Aníbal Cavaco Silva, agora Presidente, mas primeiro-ministro durante
uma década, entre 1985 e 1995, anos em que estavam despejando bilhões
através das suas mãos a partir dos fundos estruturais e do
desenvolvimento da UE, é um excelente exemplo de um dos melhores
políticos de Portugal. Eleito fundamentalmente porque ele éconsiderado
"sério" e "honesto" (em terra de cegos, quem vê é rei), como se isso
fosse um motivo para eleger um líder (que só em Portugal, é) e como se
a maioria dos restantes políticos (PSD/PS) fossem um bando de
sanguessugas e parasitas inúteis (que são), ele é o pai do défice
público em Portugal e o campeão de gastos públicos.

A sua "política de betão" foi bem concebida, mas como sempre, mal
planeada, o resultado de uma inepta, descoordenada e, às vezes
inexistente localização no modelo governativo do departamento do
Ordenamento do Território, vergado, como habitualmente, a interesses
investidos que sugam o país e seu povo.

Uma grande parte dos fundos da UE foram canalizadas para a construção
de pontes e auto-estradas para abrir o país a Lisboa, facilitando o
transporte interno e fomentando a construção de parques industriais
nas cidades do interior para atrair a grande parte da população que
assentava no litoral.
O resultado concreto, foi que as pessoas agora tinham os meios para
fugirem do interior e chegar ao litoral ainda mais rápido. Os parques
industriais nunca ficaram repletos e as indústrias que foram criadas,
em muitos casos já fecharam
Uma grande percentagem do dinheiro dos contribuintes da UE vaporizou
em empresas e esquemas fantasmas. Foram comprados Ferraris. Foram
encomendados Lamborghini. Maserati. Foram organizadas caçadas de
javali em Espanha. Foram remodeladas casas particulares. O Governo e
Aníbal Silva ficou a observar, no seu primeiro mandato, enquanto o
dinheiro foi desperdiçado. No seu segundo mandato, Aníbal Silva ficou
a observar os membros do seu governo a perderem o controle e a
participarem. Então, ele tentou desesperadamente distanciar-se do seu
próprio partido político. E ele é um dos melhores.
Depois de Aníbal Silva veio o bem-intencionado e humanitário, António
Guterres (PS), um excelente Alto Comissário para os Refugiados e um
candidato perfeito para Secretário-Geral da ONU, mas um buraco negro
em termos de (má) gestão financeira. Ele foi seguido pelo diplomata
excelente, mas abominável primeiro-ministro José Barroso (PSD) (agora
Presidente da Comissão da EU, "Eu vou ser primeiro-ministro, só que
não sei quando") que criou mais problemas com seu discurso do que ele
resolveu, passou a batata quente para Pedro Lopes (PSD), que não tinha
qualquer hipótese ou capacidade para governar e não viu a armadilha.
Resultando em dois mandatos de José Sócrates; um Ministro do Ambiente
competente, que até formou um bom governo de maioria e tentou
corajosamente corrigir erros anteriores. Mas foi rapidamente asfixiado
por interesses instalados.
Agora, as medidas de austeridade apresentadas por este
primeiro-ministro, são o resultado da sua própria inépcia para
enfrentar esses interesses, no período que antecedeu a última crise
mundial do capitalismo (aquela em que os líderes financeiros do mundo
foram buscar três triliões de dólares de um dia para o outro para
salvar uma mão cheia de banqueiros irresponsáveis, enquanto nada foi
produzido para pagar pensões dignas, programas de saúde ou projectos
de educação).
E, assim como seus antecessores, José Sócrates, agora com minoria,
demonstra falta de inteligência emocional, permitindo que os seus
ministros pratiquem e implementem políticas de laboratório, que
obviamente serão contra-producentes. Pravda.Ru entrevistou 100
funcionários, cujos salários vão ser reduzidos. Aqui estão os
resultados:
Eles vão cortar o meu salário em 5%, por isso vou trabalhar menos
(94%). Eles vão cortar o meu salário em 5%, por isso vou fazer o meu
melhor para me aposentar cedo, mudar de emprego ou abandonar o país
(5%) Concordo com o sacrifício (1%) Um por cento. Quanto ao aumento
dos impostos, a reacção imediata será que a economia encolhe ainda
mais enquanto as pessoas começam a fazer reduções simbólicas, que
multiplicado pela população de Portugal, 10 milhões, afectará a
criação de postos de trabalho, implicando a obrigatoriedade do Estado
a intervir e evidentemente enviará a economia para uma segunda (e no
caso de Portugal, contínua) recessão. Não é preciso ser cientista de
física quântica para perceber isso. O idiota e avançado mental que
sonhou com esses esquemas, tem resultados num pedaço de papel, onde
eles vão ficar. É verdade, as medidas são um sinal claro para as
agências de ratings que o Governo de Portugal está disposto a tomar
medidas fortes, mas à custa, como sempre, do povo português. Quanto ao
futuro, as pesquisas de opinião providenciam uma previsão de um
retorno para o PSD, enquanto os partidos de esquerda (Bloco de
Esquerda e Partido Comunista Português) não conseguem convencer o
eleitorado de suas ideias e propostas.
Só em Portugal, a classe elitista dos políticos PSD/PS seria capaz de
punir o povo por se atrever a ser independente. Essa classe, enviou os
interesses de Portugal no ralo, pediu sacrifícios ao longo de décadas,
não produziu nada e continuou a massacrar o povo com mais castigos.
Esses traidores estão levando cada vez mais portugueses a questionarem
se deveriam ter sido assimilados há séculos, pela Espanha. Que
convidativo, o ditado português "Quem não está bem, que se mude".
Certo, bem longe de Portugal, como todos os que possam, estão fazendo.
Bons estudantes a jorrarem pelas fronteiras fora. Que comentário
lamentável para um país maravilhoso, um povo fantástico, e uma classe
política abominável.
Timothy Bancroft-Hinchey

Pravda.Ru


quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

2011...ANO DO COELHO




COM O APROXIMAR DO ANO NOVO CHINÊS, CUJOS FESTEJOS TERÃO INICIO NO DIA 3 DE FEVEREIRO,INICIAR-SE-Á TAMBÉM O ANO DO COELHO...




Os anos do Coelho: são 1999, 1987, 1975, 1963, 1951, 1939, 1927, 1915...











Ano do Coelho

Um ano calmo, muito bem vindo e muito necessitado após o ano feroz do tigre. Nós devemos apagar alguns pontos, curar as nossas feridas e começar com algum descanso após todas as batalhas do ano precedente.

O bom gosto e refinamento brilharão em tudo e as pessoas reconhecerão que a persuasão é melhor do que a força. Uma época harmoniosa em que a diplomacia, as relações internacionais e a política darão um grande passo outra vez. Nós agiremos com discrição e faremos concessões razoáveis sem demasiada dificuldade.

O momento de prestar atenção ao que se passa à nossa volta. A influência do coelho tende a estragar os momentos de mais conforto despertando e relevando a eficácia e o sentido do dever.

A lei e a ordem serão as máximas deste ano; as regras e os regulamentos deverão ser cumpridos. No entanto, ninguém parece incomodar-se muito com estas realidades desagradáveis. Estão mais ocupados em se apreciar ou simplesmente a fazer coisas fáceis. O cenário é quieto e calmo, deteriorando-se ao ponto de provocar sonolência. Nós todos teremos uma tendência para pôr de lado as tarefas desagradáveis por um período o mais longo possível.

Pode ganhar-se dinheiro sem muito trabalho. O nosso estilo de vida será lânguido e cheio de lazer. Um ano temperado com ritmo lento. Pode-nos parecer possível ser feliz sem demasiados cuidados.

Personalidade

As pessoas do Coelho são benevolentes, calmas e responsáveis. Envolvidas frequentemente em cosméticos ou em fármacos. Evitam o confronto sempre que possível mas mostram bravura quando é necessário.

Uma pessoa nascida no ano do coelho possui um dos mais afortunados dos doze signos animais. O coelho, ou "hare" como é designado na mitologia chinesa, é o emblema da longevidade e é dito que a sua essência deriva da lua.

Quando um ocidental olha para a lua, pode brincar e dizer que é uma bola de queijo ou contar a uma criança a história do homem na lua. Quando um chinês olha a mesma lua, vê os "hare" da lua estarem perto de uma rocha e prenderem o elixir da imortalidade em suas mãos.

Durante o festival chinês do meio Outono, quando a lua é suposto estar no seu ponto mais encantador, as crianças na China ainda carregam as lanternas de papel iluminadas, feitas há semelhança da imagem de um coelho, e escalam os montes para observar a lua e para admirar os "hare" da lua.

O coelho simboliza a graciosidade, as boas maneiras, conselhos sadios, bondade e sensibilidade à beleza. O seu discurso delicado e maneiras graciosas preenchem todos os traços desejáveis de um diplomata bem sucedido ou de um bom político.

Do mesmo modo, uma pessoa nascida sob este signo procurará ter uma vida tranquila, apreciando a paz, a quietude e um ambiente harmonioso. É reservado e artístico e possui um bom julgamento. O seu comportamento far-lhe-á também ser um bom aluno. Brilhará nos campos da lei, da política e do governo.

Pode parecer um pouco estranho e por vezes parecer deslocado do ambiente ou ficar indiferente.

O coelho é extremamente afortunado no negócio e em transacções financeiras. Astuto em negócios impressionantes, pode sempre aparecer com uma proposta acima ou uma alternativa apropriada para benefício dele mesmo. A sua queda para o negócio, acompanhada com o seu jeito de negociação, assegurar-lhe-á uma ascensão rápida em toda a sua carreira.

Embora o coelho possa mostrar-se indiferente às opiniões dos outros, ele aprecia a crítica. Ele prefere ser interlocutor do que técnico da luta, pode iludir-se mas também pode arquitectar e fazer uso quando lhe convém. A pessoa do coelho tanto pode ser delicada com quem ama, como pode ser superficial e mesmo rude nas suas relações com os de fora. Suave e auto indulgente, aprecia os confortos da vida e gosta de os destacar nos seus desejos. Acredita sinceramente que não custa nada às pessoas poderem ser agradáveis e fará sempre um esforço nesse sentido.

O coelho tem uma natureza dócil, quieta e enganadora, uma pessoa do coelho possui uma vontade forte e uma auto segurança quase narcisista. Persegue os seus objectivos com precisão metódica mas sempre de uma maneira única. Não fará ondas. O traço especial que torna a pessoa do coelho um negociador formidável é o seu instinto. É sempre difícil avaliar correctamente os seus pensamentos.

O coelho geralmente tem maneiras impecáveis. Raramente usa palavras ásperas e nunca recorrerá a palavrões para se fazer ouvir. Tem as suas próprias técnicas. O coelho podia esconder-se debaixo desse casaco grosso de decência para dominar os seus opositores. As suas credenciais são geralmente impecáveis ou pelo menos muito boas. O que existe de mais simpático, o coelho tem. Agora compreende porque é que o Bugs Bunny começa sempre com as suas cenouras em todas aqueles filmes animados?

Ás vezes o coelho pode aparecer um bocado lento ou excessivamente deliberado, mas isto é devido ao seu sentido nato de cuidado e discrição. Uma coisa é certa, lê sempre a cópia por mais simples que seja antes de assinar qualquer original. O coelho é conhecido pela sua capacidade de avaliar pessoas, situações, e ganhar recursos à sua maneira.

O Coelho é muito compreensivo com os seus amigos: bom colega de trabalho e bom amigo para partilhar histórias. É uma companhia relaxante. Tem muita energia para as coisas que gosta de fazer e pode planear o casamento de um amigo até ao último detalhe sem se cansar, mas se sentir magoado de alguma forma ou lhe parecer ter motivo para, largará tudo de imediato sem olhar para trás. Essa é a parte filosófica do coelho. O segredo é saber quando as suas baterias necessitam de recarregar, e ninguém tem um conhecimento melhor de cronometrar isto do que o coelho.

Quando todos se começarem a matar com arremessos loucos por ganância, o coelho sabe que o mundo estará ainda aqui amanhã. Assim, para quê a pressa? Por que é que você não se senta ? Provavelmente far-lhe-á um chá agradável e ajudar-lhe-á a esquecer de tudo que se passa lá fora.

Em qualquer situação, você pode sempre confiar no coelho para estar no controlo. Observará o número da matrícula do carro junto ao portão ou recordará que o ladrão usava calças de ganga ou ténis brancos. E quando você estiver no arquivo da estação de polícia, ele recordará calmamente todos os detalhes e ajudar-lhe-á a responder a todas aquelas perguntas irritantes.

O coelho é quem sabe realmente viver. Não é um amante do desporto ou um disciplinado com olho atento. Não gosta de se sentir embaraçado em público. É perito na arte de não dar a cara e de não expor os seus sentimentos.

Não tenha nenhuma dúvida - ele faz anotações mentais dos seus erros e progride. É bem aceite por todos e popular. Uma vantagem desta filosofia é que o coelho faz poucos inimigos e assim raramente tem problemas. As pessoas respondem-lhe de forma generosa, deixando-o passar.

Ninguém tem uma orelha para emprestar mais simpática do que o coelho (excepto a cabra) se você precisar. Mas quando for um orador excelente e um ouvinte passivo, fará do papel um excelente conselheiro. É, sobretudo, um intelectual, um realista e pacifista. Não o espere ver sair voando até si. Isso seria pedir demais. O coelho emprestar-lhe-á o dinheiro para o advogado ou afiançá-lo-á para o por fora da cadeia se tiver recursos para isso. E se você começar a tornar-se demasiado incómodo, pode contar com ele porque rapidamente fará uma saída rápida e graciosa da sua vida.

A senhora refinada do Coelho não pensará duas vezes em casar com um bom milionário antiquado em vez de um homem considerável mas sem um tostão. Esta vontade dá-lhe as vantagens e os luxos que exige como necessidades. O seu homem deve ser poderoso o bastante para a proteger e suportar o seu estilo, deverá ser suficientemente sensível para desaparecer quando a mulher coelho não quer ser perturbada.

Quando lhe é dada a escolha, o coelho votará por uma vida fácil e boa. Gastarão toda a roupa de alta costura. Sweaters de caxemira, blusas de seda pura e linho, e tecidos duráveis. Um vison ou um chinchilla colocado sobre o ombro com um ar bem calculado podiam também identificar o nativo elegante do coelho. Os projectos geométricos ou chocando-se ofendem o sentido de conformidade do coelho e do seu equilíbrio.

Quando gracioso com os amigos e colegas de trabalho, a pessoa do coelho pode ser um tanto distante da sua própria família ou simplesmente ser repelida pela rotina e por deveres domésticos. Podem não gostar de relações muito próximas.

O Sr. Coelho é um cavalheiro singular. Move-se com graça, encanto e gentileza, apesar do facto que quando dá os seus elogios, bebe também o seu melhor vinho. Sim, o coelho gravita para a nata da sociedade e o sabor do "dulce fare niente".

No seu melhor, o coelho é admirado pela suavidade dos seus gestos e inteligência e é procurado pelos seus conselhos sensíveis. No seu pior, é demasiado imaginativo, sensível ou apenas indiferente. Evita o contacto com o sofrimento ou com a miséria humana, como se fosse alguma doença altamente contagiosa.

O coelho não é de modo nenhum fácil de prender. Pode também tornar-se muito repressivo na sua predilecção para o segredo e privacidade. Quando a pessoa do coelho se sente ameaçada, a sua subtil ninhada ou o antagonismo escondido poderiam ser expressados pelo uso de tácticas subversivas. Joseph Stalin e Fidel Castro são exemplos destes coelhos.

Por todas as suas qualidades positivas, um nativo deste signo avaliar-se-á como acima de todos os outros. Quando abusa demasiado, rejeitará qualquer coisa ou qualquer um que ouse alterar a calma da sua existência. A sua opinião é conhecida por ser flexível e tem o jeito de jogar ambos os lados pelo seguro. A segurança podia ser uma obsessão dos tipos mais fracos deste signo; raramente se encontra um coelho nas áreas de risco elevado.

Este amor com aversão pelo conflito pode dar ao coelho uma reputação de fraco, oportunista e auto-indulgente. Ao contrário do dragão, o cão, o tigre, ou o galo, todos apreciam uma luta ou discussão amorosa de vez em quando, e podem mesmo prosperar nela, o coelho não têm predisposição para o combate. Não nasceu para ser um guerreiro. Tem um funcionamento mais eficaz atrás das cenas. Não se preocupe com o bem estar do coelho. É ágil e sagaz ,está armado com um bom sentido para manter-se fora de qualquer dano. Ao contrário de outros signos, que podem perseguir ideais elevados, o objectivo principal do coelho na vida é simplesmente a auto-preservação.

O ano do coelho é reconhecido por trazer a paz ou ao menos um respeito pelo conflito ou guerra. Do mesmo modo, o seu nativo fará tudo ao seu alcance para restaurar a harmonia ou sairá de cena.

A pessoa do coelho é hospitaleira e um anfitrião maravilhoso. Companhia agradável e meiga, tem sempre uma palavra boa para dar a todos. Mas não se deixe enganar por ele. Sabe mais do que dirá e você pode facilmente reconhece-lo pela sua "finesse". Será o seu melhor amigo desde que não lhe peça demasiado.

O coelho é mais compatível com os nascidos no ano da cabra. Compartilharão do mesmos gostos assim como no campo do conforto material. Igualmente bem composto será um relacionamento com a pessoa do cão ou o nativo honesto do porco. O rato, o dragão, o macaco, o boi, a serpente e o coelho poderão ser as suas segundas escolhas. Mas não poderá tolerar a vaidade ou o criticismo do galo, é pouco impressionável pelo dramatismo do tigre e não aprecia as maneiras rapidamente moderadas do cavalo.

Resumindo, o Hare pula simplesmente sobre obstáculos no seu trajecto e recupera das calamidades de forma notável. Não importa como é lançado, aterra sempre em pé. Não pode ser chegado à família mas fará todos os esforços para fornecê-los com o melhor de tudo. O seu aspecto macio e vulnerável é protegido por uma armadura de caução e sagacidade. Na vida, o coelho evitará de o conflito a todo o custo, a menos que, naturalmente, o afecte directamente, se for o caso tomará as medidas apropriadas para proteger os seus interesses.

Não há nenhuma luta interna no grande coração do coelho entre as forças do bem e do mal. Acredita na sua própria capacidade de sobreviver, confia em seu próprio julgamento e está em paz com ele próprio. O seu signo é o mais apto para encontrar a felicidade e o contentamento.

A CRIANÇA DO COELHO

Uma criança nascida no ano do coelho terá uma doce disposição. Uniforme, moderado e obediente, será sensível às recomendações dos pais e agirá de acordo com isso. Pode ou não ser falador, mas não será malcriado ou ofensivo. Pode sentar-se e ficar quieto e concentrado com um brinquedo ou jogo. Geralmente é um dorminhoco e sofre muito quando está doente. Será fácil de disciplinar e não terá dificuldade na escola. Aprende bem e com facilidade as suas lições. Mas embora tenha boas maneiras, isso não significa que não argumentará quando precisar de reforçar as suas ideias. Pode agarrar ambos os lados de uma pergunta rapidamente e debatê-los nesse momento com inteligência.

Às vezes, será difícil decifrar os seus pensamentos ou acções. Perito em mascarar os seus sentimentos, o coelho dirá somente aquilo que sabe que irá agradar e manobrará assim a maneira de pensar dos outros sem estes darem por isso. Poderá afastar-se de forma a proteger as suas possessões. Notavelmente observador, pode calcular as suas possibilidades para alcançar um fim. Em vez de resistir directamente às regras, o subtil coelho planejará com cuidado a forma de as contornar. Este educado e pequeno anjo irá negociar sempre por um negócio melhor.

Pode reagir a uma reprimenda de forma filosoficamente indiferente. Esperando pela reacção de uma forma calma, o coelho partirá pacientemente outra vez do quadrado número um do tabuleiro de xadrez. Útil em casa, conformando-se na escola e bem ajustado ao ambiente, esta criança saberá lidar com as pessoas e dar a volta aos problemas. Será bem aceite por todos.